quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Experiência com Salvia Divinorum


Fumei o extrato 10x, num bong de vidro com isqueiro maçarico.


Antes estava muito nervoso, então, comecei a fazer o seguinte relaxamento: respiração profunda, visualizando o número 10, apertava as mãos e os olhos, largava enquanto mentalizava “relaxa” e ia para o número 9, até chegar no 0. Coloquei música baixa: cd do Black More´s Night, que deu um clima celta ao cenário.


Quando me acalmei bem, fumei. Deixei um bong num local próximo, mas seguro. Fiquei sentando em posição com pernas de chinês na cama e comecei a sentir o corpo diferente, uma sensação de leveza, talvez. Fechei os olhos, vi minhas mãos se multiplicando em milhares e milhares formando as formas mais lindas, lindas mesmo, túneis dançando de mãos e braços, minhas mãos e meus braços, milhares deles. E Deus estava fabricando aquele cenário do alto, a minha direita. Não o vi por inteiro, mas tinha aspecto indiano, como algumas outras coisas em torno. Minhas pálpebras ficavam pulando, como se fossem abrir ou estivessem produzindo algo, difícil explicar.


Eu tinha e não tinha controle da situação, existia uma identidade de eu, mas ao mesmo tempo deixe-me levar pela experiência. Não perdi sequer a memória, embora estivesse relativamente distante, de que eu havia usado a salvia. Ajoelhei-me e agradeci a graça que me foi concedida ainda durante a experiência. Quando senti que estava tudo diminuindo abri os olhos, mas era mais agradável mantê-los fechados por mais algum tempo.


Depois, finalmente, abri os olhos. Estava sozinho em casa, mas mantive o monitor do CPU desligado. Na internet, um amigo estava do outro lado, e manteve-se ligado para qualquer coisa, fornecendo uma proteção muito útil, inclusive para se tivesse alguma ansiedade durante ou pós experiência.


Agradeço novamente a experiência neste momento.


Para mim, uma integração do sagrado, não pelo intelecto, mas pela sensação.

8 comentários:

pepper disse...

VI o vídeo de um gordinho fumando, que adentrou ao estado de nirvana desabando sobre si em um sofá. Emocionou pela suas expressões que eram de puro extase racional e sensacional. Não o tenho agora, mas ao que parece seu efeito tende a ser cortical (expansivo?) e altamente psicotrópico.
d+ a experiência...

manu disse...

eu tb quero

Fernando Beserra disse...

Bacana Florinda.

As pessoas que queira enviar seus relatos podem enviar ao meu email que passo para a publicação da Florinda (encarregada dos relatos no blog). email: fernando.beserra@hotmail.com

Abçs,

Anônimo disse...

Quer ficar suave joga umas 10 folhas de manjericão em um copo, cobre com uma pitada de mel e jogue a agua qunte até a metade, medida pra um copo americano.
Tome antes de dormir, da um efeito meio que novalgina, calmante, e acaba com qualquer inflamação no organismo, limpa o sangue deisntoxicando de substancias nocivas, o unico efeito colateral é que vc não acorda o dia seguinte.
Manjericão é indicado em auxilio de tratamento de strees, e para pessoas com problemas cardiacos. Muito bom toma um desses com um escaldo nos pes de agua com manjericão, aff, acalma até sogra.

Anônimo disse...

Detalhe quando disse anteriormente que vc não acorda o dia seguinte, quis dizer perder a hora meso, vc acorda relax mesmo.
Não mata ninguem não, tanto que indicado por cardiolistas, substituir o sal por manjericão, mas esse efeito calmante é só no chá mesmo.

Anônimo disse...

Lembrando que:
"ainda prefiro fumar um baseado", dessas plantas inofencivas e espiritualmente positivas, é a mais saborosa.

Anônimo disse...

to doido pra comprar salvia, nunca fumei to com uma curiosidade imensa

Anônimo disse...

Experimentei uma vez para nunca mais.
Não me lembro de nada do que aconteceu, segundo a pessoa que estava comigo, gargalhei de babar e quase cair, mas não lembro de nadica de nada.
Só lembro de quando voltei a mim e senti uma bad horrível, nunca mais quero usar isso!

Postar um comentário